1 2 3 4
.

Batom Cor-de-rosa: tendência ou clássico?

    Há uns dois verões atrás, surgiu uma tendência entre as amantes de maquiagem que, quem diria, vem se perpetuando até os dias atuais, lutando firmemente contra os que tentam roubar seu posto de ítem It Girl do momento: o famoso, querido e muito desejado batom rosa chiclete. A febre foi tanta, que dezenas de marcas - nacionais e internacionais - de maquiagem tentaram criar e recriar suas versões. Entre os mais famosos, estão: Snob, Pink Nouveau e Saint German (ambos da MAC), Paris, Power e Narcissus (ambos da NYX); já entre as marcas nacionais, as opções também tem sua variedade, tais como: Rosa Queimado (Avon), Nude Rose (Elke) e Rosa Neon (Make B - O Boticário), entre outros.
  Tenho que confessar que desde que comecei a comprar meus primeiros batons cor-de-rosa-boneca, venho me entregando a tal vício, que meus batons de outras cores ocupam um lugar bem menos privilegiado em meu coração e, consequentemente, em minha modesta coleção de maquiagem. Ao menos pra mim, essa tendência chegou, ficou e vem se mantendo rumo ao título de clássico; a razão é simples, um batom cor-de-rosa permite uma harmonia grande entre várias as cores de maquiagens... Não é tão chatinho como o Nude comum, e nem tão extravagante como o tradicional vermelho. A moda pode ir e vir, mas um bom batom cor-de-rosa sempre será um ítem tem-que-ter para qualquer pessoa que goste , um pouco que seja, de maquiagem e afins.

  Meu Top 6

 



1. Pink Nouveau (MAC): Quem não se lembra do famoso e almejado batom da Yvone, de Caminho das Índias? Ele foi meu primeiro amor e mais querido vício até então. Luxo para usar com uma infinidade de looks, mas dá um toque pra lá de especial em Smokey Eyes super-ultra pretos. Possui cobertura Satin, ou seja, não possui qualquer cintilância, é cremoso e extremamente macio nos lábios.

2. Número 58 (Marchetti): Esse era pra ser um Top Five, mas numa desses meus passeios pelo centro esbarrei com um achado muito amor. Um rosa lindo, um tom mais claro que o Noveau, cobertura mate muito similar à cobertura Satin da MAC. E o preço? Tão amigo que levei até um susto: R$4,90. Qualidade? Equivalente a batons bem mais caros; em mim durou cerca de três horas sem retoques e chegou a cinco sem sair por completo.

3. Rosa Fantasia (Avon): Sempre tive um preconceitozinho com os batons da Avon. Mas esse superou todas as minhas - não - expectativas. Trata-se de um rosa queimado com alguma cintilância, numa cobertura que muito se parece com gloss. Deus sabe como ele me salvou em muitas manhãs de preguiça quando eu acordava às seis com o rosto inchado e mal tinha tempo pra escolher um batom sem me atrasar demais para a escola.



4. Power (NYX): Chiclete de tutti-fruit com um quê de lilás. Cobertura extremamente macia, cremoso e sem nenhuma cintilância. É verdade que ele pode não ser a escolha ideal para alguns looks, mas nem por isso ele perde seu posto de divo. Duração vai além de três ou quatro horas sem retoques.

5. Narcissus (NYX): Rosa "cheguei-me-olhe-me-veja". Só eu vejo nele um tantinho de neon? Ideal para looks não muito exagerados e para dias nublados e chatos, quando você se desespera por estar por demais enjoada de todos os seus outros batons e deseja algo novo e divertido. Só vale uma ressalva para a cobertura... Melhor não usá-lo quando seus lábios estiverem rachados demais, fica a dica.

6. Nude Rose (Elke): O nome fala por si. Um nude com um sub-tom rosado muito bonito; é verdade que num primeiro momento você leva um susto do tipo "cadê a minha boca?", mas logo você se acostuma. Gosto particularmente de usá-lo com looks escuros nos olhos e um blush de médio a suave.  



 E você? Qual seu batom rosa queridinho do momento?

Beijinhos!

Seja VOCÊ!


  Desde que a humanidade perdeu o precioso direito a igualdade, os seres humanos vêm cravando uma incansável busca acerca da individualidade - aquele algo 'a mais' que distingue os indivíduos, tornando-os únicos e especiais. É claro que na época em que Fred Flintson convivia com o Baby - "não é mamãe, não é mamãe!" - não seria nada conveniente que a tendência para o outono-inverno fossem botas Chanel de canos e saltos muito altos. Mas de algum modo e em algum momento, a moda fundiu-se a história dos seres humanos modernos. 
  Sabemos que hoje, em pleno século XXI, a moda não é apenas a roupa que você veste; pelo contrário, a moda foi ganhando padrões tão altos que tornou-se também vendedora de ideologias. A música que você ouve, o programa que você gosta, a comida que você come... Não me espantaria se, em algum desses surtos piscicóticos da mídia - como calças coloridas e cintura alta - decidissem que nissim miojo é out.
  Sejamos sinceros, todos somos de alguma maneira manipulados pela mídia - afinal, vivemos na era da tecnologia! Incomum seria se decidíssemos viver enclausurados numa caverna, livres de toda e qualquer ideologia, vivendo como anarquistas da sociedade. A questão não é, nunca foi e jamais será lutar contra a moda e contra o que a mídia nos tenta impor. O ponto é não perdemos a nossa individualidade. Não usarmos uma roupa apenas porque a It Girl do momento usa ou porque aquele cantor (?) de uma bandinha do momento gosta. Antes de vestirmos uma ideologia, temos que nos olhar no espelho, e digo isso no sentido literal. Olhe-se no espelho. Olhe para dentro de si, para onde as pessoas são incapazes de enxergar... Você realmente gosta de saias de renda?

Deixo essa pergunta para ser respondida internamente: qual o seu estilo?

Beijinhos, May.


"Às vezes é preciso se aventurar fora do seu mundo para se encontrar" - Gossip Girl

  Pela primeira vez em algum tempo, sinto o ar da atmosfera infinitamente mais suave. De repente, sinto como se algo no Universo finalmente tenha se encaixado. Como se eu nunca tivesse pertencido àquele mundo, como se tal mundo fosse por demais restrito, cujo oxigênio fosse por demais denso, impenetrável... Pequeno. Agora, no entanto, um mundo de possibilidades aparece em minha visão; como se eu pudesse fazer qualquer coisa, qualquer coisa mesmo, sem nenhum impedimento. É isso o que chamam de vida adulta? Maturidade? De qualquer maneira, devo dizer que estou em estado de graça. Plena como nunca. Feliz como nunca. E pronta para o desafio que vier.
  Enfim, levei décadas para pensar num primeiro post, mas... Quem se importa? É só um primeiro post afinal, minha vida - e tenho certeza que a de ninguém também - depende disso. Esse, como todos os outros blogs que já tive, também não terá lá um foco muito específico, não sou boa nisso. Público alvo? Qualquer pessoa que goste, ao menos de um desses ítens: feminices em geral (moda, maquiagem, estética, esmaltes, produtos para cabelos, produtos para a pele... Enfim!), textos em geral (como esse, a propósito), filmes em geral, séries em geral e, claro, cupcakes - muitos, muitos cupcakes.

Assim sendo, oi! Seja bem-vindo ao Rosa Boneca - onde o rosa vai muito além de uma cor de menininhas!